• Avenida Doutor Mário Sperb, 874 - Morro do Espelho
  • (51) 3592-1584
  • sinodal@sinodal.com.br

Alunos dos 5º Anos escrevem sobre os artistas na pandemia!

Em julho foi aprovada a Lei Emergencial da Cultura, conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem  ao compositor que faleceu vítima  da COVID 19. Muitos artistas sem palco e plateia, ou longe de outras produções  artísticas, ficaram com dificuldades financeiras durante a pandemia e tiveram que reinventar-se até a implantação da lei que alcance recursos aos artistas em todo o Brasil. Pensando nisso, a Professora de TecEst, Angela Dillenburg, pesquisou com os 5º Anos os aspectos da produção da classe artística e propôs um texto criativo. Foram tantas ideias lindas que surgiram dos alunos, que nao tínhamos como deixar de compartilhar. Hoje, o texto que vamos divulgar é do aluno Lucas Galski Malo, da turma 52.
 
Se eu fosse artista na pandemia, o que eu faria? Por Lucas Galski Malo, aluno da turma 52.
 
Arte pode ser entendida como a atividade humana ligada às manifestações de ordem estética ou comunicativa, realizada por meio de uma grande quantidade de linguagens, tais como: arquitetura, desenho, escultura, pintura, escrita, música, dança, teatro e cinema, em suas variadas combinações. Um artista é, de modo geral, uma pessoa envolvida na produção de arte, no fazer artístico criativo. No entanto, essa definição tem variado imensamente ao longo dos séculos e nas diferentes culturas, e seu conceito está diretamente ligado ao conceito de arte, igualmente controverso e variável.
 
 Os tempos de pandemia estão sendo bem difíceis, principalmente para aqueles com condições piores. Por isso os artistas estão sendo de bastante importância na quarentena. Sem eles, não existiriam as diversas roupas, não existiria pinturas para decorar a casa na pandemia, não existiriam máscaras diferentes, não existiriam roupas quentinhas, mas, em geral, não existiriam ideias novas. Portanto, levando em consideração, a pandemia também está sendo difícil para eles.
 
As vendas de roupas baixaram muito, ninguém mais vai a museus com medo de pegar o vírus, teatro e cinema já estão quase sem ninguém…
 
Se eu fosse um artista, eu usaria essa habilidade para ajudar as pessoas na quarentena, tanto fisicamente quanto psicologicamente. Eu faria um poema ou uma peca de teatro, para ajudar aqueles com depressão. Faria uma quadro bonito e divertido para aqueles cansados de uma casa pequena na quarentena. Faria roupas quentes e confortáveis para aqueles que sentem frio. Faria uma música para os enjoados. Faria brinquedos aos indispostos, e principalmente, traria novas ideias para todos!
 
Materiais de referência: Vogue.globo.com-www.wikipedia.org-epocanegocios.globo.com